Qualidade de Vida

31.03.2014 - Projeto Vida Corrida

Juntos, amor e esporte transformam vidas

Renata Pessoa

Poucas pessoas reconhecem o poder transformador do esporte. Mas, há alguns anos, a vida de uma mulher mudou completamente e graças ao seu amor pela corrida de rua, ela conseguiu transformar a vida de centenas de pessoas do bairro Capão Redondo, em São Paulo – uma localidade conhecida por índices de violência e cujos moradores sofrem pela carência de lazer, de entretenimento e oportunidades para práticas esportivas - o que consequentemente promove a exclusão social e a ociosidade.

Marineide dos Santos Silva, a nossa Neide, é a idealizadora e fundadora da Associação Projeto Vida Corrida. Baiana, radicada em São Paulo desde 1967, sempre soube que o esporte mudaria sua vida. Batalhadora, ela trabalhava durante o dia em uma oficina de costura, e à noite estudava, praticando a corrida aos finais de semana nas ruas do bairro onde reside até hoje.

Sua dedicação ao esporte não passou despercebida. “Em 98, uma das mulheres da comunidade queria fazer uma atividade física e me pediu ajuda. Como eu teria alguns dias de férias, me prestei a ajudar. No início eram seis mulheres. Quinze dias depois, passaram a 30”, conta.

Mas um dia, Neide sofreu um baque: mãe de três filhos, um deles foi vítima da violência do bairro – assassinado durante um assalto por um menor de idade. “Aí meu mundo caiu, desmoronou. Nesta época eu me afastei do bairro e do Projeto, que ficou parado por dois meses. Mas, minha cabeça continuava ali. Foi quando pensei em voltar e, quem sabe, começar a transformar a vida das crianças de lá. Porque quem assassinou o meu filho foi uma criança. Pensei que se eu conseguisse mudar a vida de uma criança, eu estaria feliz”, afirma.

Neide reduziu a carga horária trabalhada e abriu mão de 30% do seu salário, para dedicar mais tempo aos treinamentos com a comunidade. Para ela, o esforço valeu a pena. Além de proporcionar saúde e qualidade de vida para os frequentadores do parque através do esporte, nosso “Anjo”, como é chamada por seus seguidores, conseguiu transformar este projeto em realidade. Fundou a Associação Projeto Vida Corrida que atende mais de 350 (trezentos e cinquenta) pessoas, incluindo crianças, jovens e adultos. Alguns deles já viajaram ao exterior para participar de meais-maratonas em Zurique, Berlim, Lisboa e Porto, por exemplo.

Em 2009, o Vida Corrida foi premiado como O melhor projeto social brasileiro de inclusão de meninas e mulheres pelo Nike Game Changers - Mulheres virando o jogo pelo esporte e em 2012 ganhou o prêmio ANU de melhor Projeto de Inclusão Social do Estado de São Paulo.

Hoje, Neide trabalha na coordenação das atividades desenvolvidas na Associação Projeto Vida Corrida, realizando palestras, treinamentos e atendimento à comunidade com objetivo de multiplicar a responsabilidade social.

Compartilhe
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar
Veja também

Abilio Diniz
m.uol.com.br