Qualidade de Vida

07.01.2015 - Saúde em dia

Confira 5 hábitos que você deve abandonar em 2015

Renata Pessoa

O sobrepeso eleva os riscos de problemas Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que, em 2015, cerca de 2,3 bilhões de pessoas estarão com sobrepeso e mais de 700 milhões serão obesos. O excesso de peso acarreta uma série de riscos associados como como hipertensão arterial e colesterol alterado e no Brasil, o problema atinge 40% da população.

Para não fazer parte deste índice, além de manter hábitos saudáveis como alimentar-se bem e praticar atividades físicas de forma regular, é essencial estar atento às quantidades e composição dos alimentos. Muitas vezes isso significa também abandonar alguns costumes. Veja abaixo quais deles a nutricionista Renata Queirós sugere que sejam cortados de sua rotina para a qualidade de vida:

1. Fast food e os alimentos gordurosos: Com a correria do dia a dia é comum ver as pessoas comendo na rua, em lanchonetes, que servem lanches rápidos conhecidos como “fast food”. Geralmente os ingredientes e acompanhamentos dos lanches deste tipo de alimentação são muito calóricos, ricos em gorduras e colesterol, conservantes e sódio, que se consumidos em excesso podem levar à obesidade. Dessa forma você fica mais suscetível a ter doenças do coração. Esse hábito deve ocorrer de forma esporádica, não deve virar uma rotina.

2.  Sedentarismo: A correria do dia-a-dia, ou até mesmo a falta de hábito faz com que algumas pessoas abandonem atividade física, algo que pode ser resolvido ou minimizado quando se coloca uma meta a alcançar. “Do mesmo jeito que você arranja tempo para outras coisas, é importante também arranjar um tempo para atividade física. Tente pelo menos praticar algum exercício três vezes na semana”, indica Renata. A atividade física traz benefícios para os níveis de colesterol e triglicérides, melhora a disposição, o sono, alivia o estresse e ainda ajuda a manter o peso.

3. Frituras: Batata frita, pastel, bolinho de queijo, croquete, entre outros são alimentos ricos em gorduras trans, que em excesso, diminuem o colesterol bom (HDL) e aumentam o colesterol ruim (LDL), podendo provocar o entupimento de artérias e causar infarto e outros problemas de saúde.

4. Alimentos industrializados: Para a qualidade das refeições é essencial dar preferência aos alimentos naturais e preparados em casa. Às vezes, com a rotina agitada é comum as pessoas chegarem em casa tarde, após um dia cansativo de trabalho e comer aquilo que tiver mais fácil como pizzas, alimentos congelados, etc. “Abandone esse hábito e comece a preparar uma boa salada com bastantes legumes, verduras e para acompanhar, prefira uma carne magra (vermelha ou branca) de preferência grelhada, assada ou cozida”, sugere a especialista. Então, que tal uma salada com omelete? Use a imaginação e elabore pratos saudáveis que também não vão demandar muito o seu tempo. Experimente.

5. Refrigerantes: Além de ricos em açúcares e conservantes, os refrigerantes causam a perda de nutrientes e minerais importantes, como o cálcio. Por copo, o refrigerante possui em média 9 colheres de chá de açúcar, quantidade alta que também pode causar cáries e diabetes. “O consumo desta bebida não traz nenhum benefício para a saúde, mesmo as versões zero ou diet, pois utilizam adoçantes artificiais”, alerta a nutricionista, que complementa: “o consumo regular do refrigerante diet pode diminuir a função renal, aumentar a vontade de comer doce (favorecendo a obesidade), além de alterar a formação óssea e dos dentes.

Talvez você se pergunte “Não posso mais comer em um fast food”? Ou “Nunca mais vou comer batata frita e tomar refrigerante?” Para estas dúvidas, Renata sugere: “evite que esse tipo de alimentação faça parte da sua rotina. Se precisar comer um dia no fast food, coma, mas não deixe virar rotina. No seu dia-a-dia dê preferência por consumir mais verduras, legumes, frutas, preparações assadas, grelhadas ou cozidas, beba bastante água, pratique exercícios. Sua saúde agradece”.

Compartilhe
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar
Veja também

Abilio Diniz
m.uol.com.br