Qualidade de Vida

16.04.2014 - Páscoa sem culpa

Veja dicas para manter uma alimentação saudável

Renata Pessoa

Durante a Páscoa, é comum que as pessoas se rendam às delícias da ceia e, muitas vezes, acabam cometendo exageros. Entretanto, grande parte das opções oferecidas tem propriedades nutritivas que podem ser usadas ao nosso favor, quando consumidas com moderação. Se você não quer errar nas escolhas, aproveite estas dicas do Conselho Regional de Nutricionistas - 3ª Região São Paulo e Mato Grosso do Sul (CRN3) para uma alimentação saudável e equilibrada neste período.

De acordo com o CRN3, o consumo regular de peixes melhora a memória e a concentração, previne doenças cardiovasculares e aumenta as ações anti-inflamatórias devido à presença de grande quantidade de ômega 3. Além disso, o peixe previne a osteoporose e a anemia, pois é rico em vitamina D e cálcio que fortalecem os ossos, além de ferro e vitamina B12, nutrientes importantes para a saúde das células sanguíneas.
 
Muito procurado nesse período do ano, o bacalhau é um peixe magro, fonte de ácidos graxos poliinsaturados, entre os quais se destaca o ômega 3, importante agente na prevenção de doenças cardiovasculares e aumento de ações anti-inflamatórias. Com tantas propriedades, ele atua preventivamente contra o câncer e favorece o desenvolvimento do sistema imunológico. Com elevado teor de proteínas de alto valor biológico, de minerais como o iodo, fósforo, sódio, potássio, ferro e cálcio e de vitaminas do complexo B, ele ainda é de fácil digestão.

Para os apaixonados por chocolate, aqui vai outra orientação: para acertar na escolha, tenha em mente que quanto mais escuro o chocolate, mais flavonoides ele possui. Ou seja, mais saudável ele é. Neste caso, o chocolate meio-amargo e amargo são as melhores opções. Isso porque apresentam alta concentração de cacau (acima de 70%) e são mais ricos em flavonoides, epicatequinas e ácido galáctico, que têm ação antioxidante.

De acordo com a doutora Carina Tomida Shaletich, nutricionista do CRN3, o cacau é reconhecido pela sua propriedade antioxidante, sendo assim quanto maior a quantidade de cacau presente na formulação do chocolate, melhor. Isto significa menores teores de gorduras e de açúcares no produto final. Pesquisas comprovam os importantes benefícios que os antioxidantes oferecem à saúde, sendo o consumo de chocolates, especialmente aqueles com maiores teores de cacau, como o chocolate amargo, a melhor opção.

Em geral, o chocolate traz em sua composição substâncias consideradas estimulantes como a cafeína e a teobromina. Uma barra de chocolate, por exemplo, possui, cerca de 10mg de cafeína, que ajuda a elevar o estado de euforia, agitação e o raciocínio. Outro fator positivo é que seus componentes possuem efeitos sobre a serotonina e a dopamina, substâncias responsáveis na regulação do humor e nos comportamentos compulsivos, ajudando a tratar casos de depressão, tensão-pré-menstrual (TPM) e ansiedade.

Mas atenção: o chocolate deve ser consumido com moderação. Rico em calorias, ele possui alto teor de carboidratos refinados (principalmente sacarose), gorduras (35% monoinsaturada, 60% saturada e 5% poliinsaturadas) e uma pequena porção de proteínas. Se sua ideia é abrir espaço na dieta, porém sem brigar com a balança, evite os chocolates brancos, que são feitos de manteiga de cacau, não possuem flavonoides e têm mais gordura.

O recomendável é consumir uma barra de chocolate de 30 gramas (160 calorias) por dia, mas isso não é uma regra e depende das condições nutricionais de cada pessoa.

Boa Páscoa.
 

Compartilhe
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar
Veja também

Abilio Diniz
m.uol.com.br